Oceano



Ao mergulhar
Bebo de ti
Com sofreguidão
Até não precisar mais,
Contemplo tuas dimensões.
As vezes encontro resistência,
Ali onde desejo estar
Mas sou amante que sabe
Que tudo terá de novo.
A figura se configura
Pois habito teu desejo.
Ali, a profundidade
Do oceano é percebida,
Não como silêncio vazio,
Mas como isolamento.
Respiração é como rebentação
Onde o eu vive em comunhão
Com o outro
Celebrando ritos
Quando os 5 sentidos
Pedem vida.
Amo-te e não sei
Porque te amo tanto
E com que carícias
Hei de te amar mais ainda
Nessa hora em que o dia
É despedida.

O mar que se enfeita de espumas
E suas ondas me cobrem
Fundando o amor
Dentro de um oceano de jardins...

Nenhum comentário: