Voa passarinho


"E passarinho não voa mais nesse teu SP imenso.

Ainda oiço o chilreio deles na minha cidade (pequena).
Ainda me chateio com o lixo que eles fazem.
Mas quando eles partirem..."

Quando eles partirem
ficará a impressão de que
as cores andam tristes
e no silêncio,
as vozes das pessoas
que falam mas não dizem nada,
serão amplificadas...

Ah, mas deixa que te conte:
ainda ouço o canto do bem-te-vi,
do sabiá laranjeira, dos periquitos
e um "montão" de pássaros que não sei o nome.

Tem revoada de pardais,
o beija-flor faz ninho,
as maritacas de lá pra cá
e cá pra lá sempre alvoroçadas...

No céu de São Paulo não habita mais
a tristeza de poucos pássaros.
Aves do céu, que não plantam nem colhem,
não têm grades nem poleiros,
a razão do espreguiçar antes do relógio
desafinar as horas do acordar.

(Hoje não me chateio com a sujeira que fazem...)

Foto: Web, Assanhaço,assanhaço-cinzento ou sanhaço-do-mamoeiro.
Ainda é visto em alguns bairros em São Paulo, junto com Sabiás,
Maritacas e Bem-te-vi. Todos os dias essas aves se alimentam de
frutas que alguns moradores do prédio onde resido, deixam pelas
trepadeiras de um dos muros laterais.

A passarada começou a namorar, que festa!

Nenhum comentário: