Fábula


                                                                                    Pensei, sinceramente pensei
que eras o príncipe por mim encantado,
prestes a enfrentar meus dragões,
que entrasse de espada em punho
pelas masmorras onde me escondo
e definho desde sempre a tua espera.

Pensei, sinceramente pensei
que eras o príncipe por mim encantado
portador do beijo que não me queimou,
dono das mãos que não me afagaram.

Por momentos foste tu
o príncipe encantado por mim.

Sim, foste tu e acima de tudo
foste também a promessa de uma promessa,
a voz do outro lado que calou
porque não podia ser.

Pensei, sinceramente pensei
que eras o príncipe por mim encantado
a me resgatar do cansaço
que é não pertencer a lado nenhum.

Pensei, sinceramente pensei
que serias o regresso,
a volta para casa,
a minha loucura.

Eu sei amor,
ninguém salva ninguém...


Nenhum comentário: