Querências

Uma história muda,
tragada em estado germinal,
perdida nas profundezas
de uma consciência vazia.

Tudo vago e no entanto imenso,
parecido com o sentimento de infinito
para o qual faltam palavras
e sobram suspiros e pausas
nesses estados de alma.

Uma cor a mais no prisma,
a entonação em falsete
que nada revela desse sentir,
sufocado numa linguagem indomável
que vai perdendo o viço
e calando os silêncios.

O amor raro que ficou tão comum
em querências que não preenchem
porque de mim ausentes.

Nenhum comentário: