Vertigens



O ver não é o sentir,
Este está submerso,
Repousa inexplorado,
Mantém-se irrefletido

O sentir não precisa ver,
Nem olhar.

Ele precisa
De uma centelha de entendimento,
Uma fagulha de sentimento...

Sentir é o mergulho pessoal
Em si mesmo,
Foge do racional
Para se incendiar em emoção
E navegar nos outros.

Vertigem

Calma,
Apaziguada...

- O que faço?

Não faço porque sou,
Se fico sendo
Não preciso fazer.

Devagar ou Depressa,
Passos certos,
Miúdos em tempo.

Passadas largas
Rápidas em léguas,
Seja como for,
Estou sempre sendo
Em vertigem...

- O que estou fazendo?
Estou sendo triste
Numa calma apaziguada
Cheia de vertigens.

Ouvindo: Eu E Tu Somos Iguais

Nenhum comentário: