É o nó na garganta que me engasga,
a cabeça balançando no ritimo "nâo tem jeito"

E tudo que eu posso e quero é Ouvir Estrelas...
Talvez, quando você perder o senso
E me der as palavras, essas que estão vestidas de "xita"
Impregnadas de perfume barato,
Você possa entender o que hoje calei.

Não te queria verso estilizado, nada disso,
Queria apenas o que vai na tua alma,
sem batom ou purpirina...

Deixa pra lá!

Ouvindo: El Tiempo De Nuestras Vidas (winth Tony Braxton)

Foto: Web


2 comentários:

mouro disse...

O nó afinal desatou-se.Já era hora!
Recebi o beijo de boa noite, fica em paz...

Adriana disse...

lindos poemas, parabéns pelo talento, saudações lancinantes !Adriana