Insanidade

Aqui desde as 3:30,
Madrugada fria,
Palavras aflitas,
Um banho pra tirar do corpo
o cheiro do suor frio
De um pesadelo maldito.

Sinto nos ossos a angustia
De não conseguir acordar
Antes de chegar ao fundo
Do poço sem fundo...
 
Olhei a cidade, silêncio.
 
Uma hora depois
Briga de casal
Em algum apartamento
Entre os edificios em volta.

Uma criança chora.
Os carros começam a rodar
numa avenida próxima.
 
Procurar o conforto imaginário em tuas mãos.
Preciso me acalmar.
Você já se sentiu assim?
Não responda, não quero invadir.
Você sabe, sente.
Não quero voltar aos abismos
Em que vivia,
Talvez eu volte...
 
Sinto medo,
Medo,
Medo...
 
Pensei em nós,
Escrevi um poema 
Beijos meus,
São 5:05 do meu dia
ainda sinto medo,
Medo,
Angustia,
Insanidade,
Loucura...

Preciso me controlar,
Preciso ter calma,
Eu sei...
 
Preciso voltar a dormir,
A cidade acorda,
Ouço o barulho do dia amanhecendo,
Sinto medo,
Medo,
Medo...

Nenhum comentário: