Essas Meninas



Era uma vez duas meninas, uma de 6 e outra de 5 e meio. Duas fofas. Bem, a de 5 e meio era uma chata co caréus, uma tirana. Tudo que a de 6 tinha., ela queria!
Um dia brigaram feio porque a “pentelha” cismou que queria a xícara da outra, (as xícaras eram todas iguais), mas queria porque queria, assim usou e abusou dos recursos de sempre: choro aos berros e descabelados.
A mãe da invocada e a invocada de 6 travam o seguinte diálogo:

- Dá essa xícara pra ela.
- Mas mãe, é igual...
- Dá já!

A mãe nessa altura já abusando da autoridade porque ninguém aguenta criança pentelha aos choros, berros e descabelos:

- Tou mandando, ela é criança.

A invocada, o adjetivo já diz tudo, teimou e retrucou. Ameaçou birra, e lascou:

- Mas mãe, eu também sou criança. Ela num usa fralda e nem toma mamadeira.

A mãe, louca com aquele inferno põe um ponto final na história, isto é, tenta:
- Mas ela não vai na escola!

A outra responde (melhor era ficar quieta, mas não aprendeu a lição até hoje):

- Tá bom! Eu também num vou pra escola, detesto escola.

Resumo, teve de dar a xícara para que a outra ficasse quieta e ainda ficou de castigo por colocar a mãe louca (palavras da mãe).

(Quem deixou ela doida foi a outra com choros, berros e descabelos.)


Essas duas quando ficavam de mal, viravam a cara e fechavam os olhos uma pra outra porque não queriam mais “olhar na cara uma da outra”.

Nenhum comentário: