Deserto Habitável



Quero as palavras
Do teu silencio
Não as palavras rebuscadas
Que fartam os olhos
Mas não saciam a alma

Prefiro antes,
O silencio despovoado

Eu tenho sede,
E se chegar,
Será para a desordem

Só pode haver o encontro
De dois mistérios
Se um se entregar ao outro.

Não sendo inteiro,
Que a sede continue,
O desejo permaneça
No silencio mutilado
Por falta de nutrição

E em abandono,
Continuaremos estranhos
Que não se encontram,
Povoando cada um
Os seus vazios de solidão.

Foto: JET ...

Nenhum comentário: