Sorrateiramente


No fim, fica o nada
E na ponta,
Que deu o nó
A certeza de que
O ponto não eram pontes
E sim,
Ribanceiras...

"- Sem problema",
(como se diz na giria
para tudo que não depende de nós)

Voltamos aos becos
Onde. mesmo cansados,
Ainda é o onde nos
Mantemos seguros.

Sorrateiramente descrentes,
Porque acreditar também dói.


Foto: Oleg Birioukov

Nenhum comentário: