Dor



Quando aprendermos a entender
O que ambos calamos,
Como foi o antes
Nunca mais seremos diferentes.

Vamos acontecer num sono sossegado,
Morrer de amor contrariado e
Despir-nos de tudo a nossa volta.

É do ser humano disfarçar o que ama
Como se isso fosse possível, e talvez,
Protegê-lo das dores do mundo
Fome de amor e dessa fome a dor.

Lúcida colheita em tempo certo,
Caminhos tortuosos a percorrer,
Feridas cicatrizadas dando lugar
Aos sofrimentos inevitáveis,
Causar um mal necessário
Para poder ser amor verdadeiro.

Imagem:
Web
Ouvindo: O Que Você Faria

Nenhum comentário: