Ver


(ocean onaeco)

Queria palavras
completamente insignificantes,
sem sentido prático ou absolutas
Palavras desprovidas do mínimo sentido.

Queria estar sóbria,
Sentidos em harmonia
Longe das palavras de ler,
De causa e efeito.
Algo como nada a digerir,
Que não fizesse acelerar ou pensar.
Sentir saudades ou indiferença.

Queria saber cumprir o prometido:
Você não existe no meu pensamento,
Palavras,
Atos,
Em mim

Sem plagiar placa de caminhão,
Neste caso o querer não é poder,
Ou trata-se apenas de não poder querer.

Sei que você sente saudades
As mesmas que eu
Sei também que somos muito bicudos
Para conseguir manter a paz necessária
Que dois amigos precisam para se manter unidos.

Certas coisas que eu não seu dizer,
Ou digo muitas coisas.
Muitas coisas que você não consegue traduzir,
Como deveria ou gostaria.

E assim seguimos
Separadamente,
Ambos sentindo esse vazio.

Eu sei,
Que ainda somos
Bichos de olhar
Que não aprenderam a ver...

Nenhum comentário: