Senteça


O que aconteceu pouco importa,
Sinto antes a saudade do que não aconteceu

Perde-se uma coisa aqui

Outra ali

E acolá se perde a inocência

O avesso torna-se o direito das coisas
E eu me vejo com as costuras pelo direito

Cada coisa em seu lugar,

O seu lugar pela desordem de mim

E só para me executar,

Tornei-me meu algoz

Sou o juiz e a testemunha perjura,

Sou o nó e a corda do cadafalso

Sou meu carrasco indiferente,

Será que podíamos negociar uma injeção letal?

Sou alérgica a fibras sintéticas...´

Imagem:
Web

Nenhum comentário: