O Olhar e o que ele cala


Olhar de espera
Sorve das bocas
Nas ânsias de espera
A fome de séculos
Em espasmos furtivos

Olhar obsceno
Torturado e aflito
Advinha corpos
Que se abrem
Em cadências férvidas

Olhar de fome,
Órbitas vivas,
Coração acelerado,
Consoantes duplas,
Mergulhando nas profundas
grutas sem fronteiras...

Ouvindo: Olhos Nos Olhos

Nenhum comentário: