Boa noite, meu amor...

Não sei,

Não sinto esse calor,
essa brisa de poente
tocada em cores quentes...

nem a rosa,
nem os espinhos,
embora sempre diga que os prefiro às rosas,
eu e elas temos uma história mal resolvida,
um dia eu conto, não sei...

Não sei se quero continuar nessa penumbra
tentando advinhar quais os tons que ela esconde,
sinto cansaços e já começo a ficar cansada de senti-los,
mas esse vazio,
esse silêncio,
essa quietude me atraem...

As vezes penso no cinza maculado pelo vermelho,
dela, a rosa, sempre ela assombando meus sonhos,
meu melhor pesadelo...

Também não acho que esteja um início de noite
onde vagam as nuvens que não se dissipam,
onde não se vêem as estrelas,
onde não se vê a Lua,
uma noite inacabada como uma tela de Klimt...

Talvez eu esteja apenas um borrão meio que colorido
onde predominam os tons de azul,
um lilás suave,
sereno,
triste...

Definitivamente não sei,
penso que não sinto vazios
e sim um transbordar que não encontra
a fenda por onde vazar...

Ouvindo: o ronronar da Lola que me chama pra nanar...
(é tão mandona essa gata). O Precioso chegou e a Isolda já afia as unhas no tapete...são horas

Se ainda não sei como me despedir desejo-te uma boa noite, meu amor...

Nenhum comentário: