Eu trago flores...


As vezes, esse meu coração ,
dança feito um passista,
festejando no meu sangue
as novas pulsações,
únicas responsáveis,
por arrancarem do meu peito
tantos ais sem medida.

Ele sabe o silêncio
em que arde meu ser primitivo
e onde minha alma anda oculta
A espera do sinal,
ainda que traga cravada
entre entre o sonho e o desejo,
essa adaga do querer
que me fará sangrar flores
que vais colher
entre as minhas pernas...

Foto:Web
Ouvindo:
Momento

Nenhum comentário: