Não


Não, não te quero água represada
Não te quero fácil,
Não te quero jornal de ontem,
Não, não penso que será fácil
E nem assim o iria querer,

Não vim para apaziguar
O que te consome inteiro
Nem para ser calma de uma noite amiga.

Eu vim sim,
para
te devorar aos poucos...

Foto: Klaus Goffelmeyer

Ouvindo:Nosso Estranho Amor

Nenhum comentário: