Hiato


Não quero o amor
que não ouse falar o nome,
nem o amor que precise bradar
o nome em passeatas.

Não acorde a Eumenide que habita em mim,
Para não abalar os homens de pouca coragem,
nem causar a inércia da inteligência,
que vagueia no indefinido
sem o norte da realidade.
Não é porque sonho,
Tento apenas saltar o grande hiato
Em minha mente




Chagall
, Marc-Lovers in Moonlight.



Música: F come femme

Nenhum comentário: