Vício


O vicio sem medida
De me entregar inteira
Submissa às tuas vontades,
Doce,
Disponível para teus brinquedos
Sem oferecer resistências,
Ser cúmplice,
e depois,
Esquecer-te completamente
porque não calas o grito mudo
que me assombra,
não acrescentando nada
ao meu quotidiano banal...

Ouvindo: Como vai você
Foto: Eric Kellerman

Nenhum comentário: