Em Algum Lugar


Não sei talvez preguiça ou alguns cansaços.

Falar de onde me escondo sempre me consome e logo fico aflita como bicho preso andando de um lado para outro. Hoje nem o verso, nem a música e muito menos o imaginar me trouxeram paz.

Ando cansada, tenho pressa, preciso de um lugar onde eu possa me esconder e que a futilidade possa me alcançar o quanto antes. Não gosto de me sentir nua, não por pudor, sempre por não saber como carregar a adaga que atravessa e sangra.

Quem pode traduzir a minha agonia?
Talvez só eu, mas estou tão cansada.
Queria um porre,
chapar a cara,
dormir o sono sem sonhos...

(o final desta conversa foi só para você sem o público, intimista)

Nenhum comentário: